sexta-feira, 23 de junho de 2017

TEC 2 - D8

O D8 passou-se sem a visita de Mr. Red. Estaria tudo bem se não continuasse a mandar os seus sinais. Tenho a certeza que ainda hoje serei "brindada" com sua presença (as manchinhas rosadas por vezes quando vou à casa de banho mantém-se e têm aumentado de frequência). Está a custar-lhe a vencer a carga de progesterona, mas o malvado irá vencer.

Nesta TEC já ganhamos 2 dias em relação à anterior. Mesmo que venha hoje, no D9, já não me parece tão absurdo como o que tem sido hábito, no D7. Sempre dá oportunidade do embrião implantar. Hoje é o 14º dia de fase lutea (conto a partir do início da aplicação de progesterona, não sei se está correto), não me parece totalmente absurdo que venha hoje. 

Quanto a mim, acho que estou resignada com a situação, embora às vezes me sinta a enlouquecer. Quando acordo a única coisa que penso é que não quero viver este dia, quero acordar nem sei bem quando... das outras vezes o Red vem sem dó nem piaedade, sem duvida nenhuma. Desta vez está determinado em levar-me à loucura enquanto o aguardo. Desta vez não sinto uma tristeza tão grande como na TEC anterior... digamos que me sinto menos "ave rara" por ter aguentado até ao D9. Dá-me até alguma esperança que algum dos 5 embriões me possa conceder o pervilegio de ser sua mãe. 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

TEC 2 - D7

Não posso dizer que o vilão desta história, Mr. Red, já tenha chegado. Prevejo a sua chegada para amanhã. 12 dias de fase lutea... bem bom para o meu histórial! (Só que não!!) Na verdade acho que só ultrapassei o D7 porque a TEC foi feita um dia antes, logo amanhã é que é o dia que costuma vir. Ele tem dado os seus sinais... ligeiras manchas de sangue rosado quando vou à casa de banho, nem todas as vezes. A heroína desta curta história, a progesterona intramuscular, está a adiar a vinda do Sr. Vilão. Está a dar-lhe luta. A ele a mim, que já tenho o rabo que nem posso.

Quanto a mim, tirando dor nas duas nádegas, só umas cólicas pre-menstruais que por vezes nem sei se existem se são da minha cabeça. Neste ciclo nunca senti a tensão mamaria tão característica da progesterona. Tirando isso aguardo a chegada do Red, para poder encerrar este capítulo mais uma vez e começar a pensar nas férias que se avizinham. Novamente a dois + 1 (o cão). 

Também será bom voltar a ir à casa de banho descansanda! Acho que estou a enlouquecer sempre a ver se será "a" vez em que o Red se anuncia de verdade. Cada vez que tenho que ir à casa de banho é um tormento. Acho que estou a fritar a pipoca literalmente. Ninguém disse que ia ser fácil... ninguém disse.

terça-feira, 20 de junho de 2017

O mesmo filme

D6 - O mesmo gião e o mesmo protagonista.

Hoje após umas cólicas menstruais, lá começou o corrimento rosado. Aposto que amanhã o protagonista vilão, Mr. Red estará aí em grande força. 

De tão hilariante que isto é não sei se ria não sei se chore. 

Por incrível que pareça não sinto aquela tristeza profunda das vezes anteriores. Talvez seja o hábito. Ou o cansaço de tudo isto. Só não sei como irei comparecer a uma festa que tenho esta noite e como vou dar mais uma injeção intramuscular em vão... sei que o meu marido não vai querer parar já, eu por mim encerrava já este assunto de uma vez.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pensamentos soltos

Hoje cumprir-se-à o 5º dia após a TEC e hoje começa a minha ansiedade. Se correr como o que tem sido habito entre hoje e amanhã se iniciará a chegada da menstruação, que vira oficialmente ao D7. A minha espera pelo beta costuma ser mais curta que o o habitual.

Neste momento gostaria de pensar que o embrião está a implantar, mas só consigo pensar que já se perdeu pelo meu miserável endometrio. Sintomas não existem, não fossem os meus medos e neste momento nem me lembrava que tinha feito uma transferência. Nem o irritante projefikk para me lembrar, até tem vantagens a progesterona intramuscular, uma pica de 2 em 2 dias e libramo-nos dos irritantes ovos de  progesterona.

Tenho pensado nos próximos passos após está Tec (eu funciono assim, tenho que pensar em todos os cenários para me preparar para eles, embora já tenha percebido que não custa menos por já estar preparada), e tenho sentido uma sensação de irrealidade. Será a 4ª transferência de embriões... já soa ridículo passar por tudo novamente. 

sábado, 17 de junho de 2017

Repouso após TEC

Este provavelmente é um dos temas que nos faz refletir mais neste processo. Na minha opinião quando se faz uma transferência após estimulação, o descanso após a transferencia dá imenso jeito porque após a punção é sempre uma altura de alguma debilidade física. Numa TEC, a debilidade física é menor, logo o nosso organismo não pede repouso, cabe-nos a nós decidir. Eu sinceramente acho que essa questão é um mero pormenor. O que decide a implantação ou não é a qualidade do embrião e do endometrio. Mas também me martirizo algumas vezes por dia quanto ao se devo ou não fazer isto ou aquilo. Queremos tanto que corra bem que é impossível ficar indiferente. 

Assim sendo, eu faço a minha vida praticamente normal:
-  trabalho, não trabalho sempre no mesmo local, algumas vezes vou trabalhar a pé, outras tenho que fazer 50km de carro em cada viagem. Obviamente que se fosse um trabalho de esforço físico seria diferente. 
- cozinho e trato da casa. Coisas mais pesadas como passar a ferro ficam adiadas. A limpeza do chão e da casa de banho está a cargo da empregada o ano todo por isso em nada altera a minha rotina. 
- se tiver algum jantar, convívio ou o que for, não deixo de ir

A única coisa que deixo de fazer, e acreditem me custa horrores, é passear o meu cão. Ele tem 10 meses e é um cão de porte médio, está na flor da idade e ainda não tem um comportamento exemplar a andar de trela, logo tenho noção que é um risco. Também não vou ao ioga. Mas como a minha experiência após transferências é curta (nunca preciso de esperar pelo beta), consigo viver bem com esses dias de espera do ponto de vista que limita a minha vida. 

Na Clinica AB aconselham a repouso moderado nos primeiros 5 dias (principalmente nos primeiros 3) depois vida norma. Na IVI aconselham vida normal logo a seguir à transferência. Não sei qual será a fórmula mágica. Por um lado temos que nos proteger de culpas e pesos na consciência (já chega tudo o resto que passamos) mas por outro lado não queremos deixar de viver a vida que há para além da infertilidade. 

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Transferir 1 ou 2?

A minha querida Mia perguntou-me se tinha transferido 1 ou 2 embriões e eu já lhe respondi ao comentário, mas de qualquer maneira resolvi fazer este post sobre isso também.

Tal como na primeira TEC, transferi apenas 1. Não é que a gravidez gemelar me assuste mais que uma gravidez normal, embora reconheça que os risos são mais elevados. Mas eu até gostava de ter gémeos. Enchem uma casa e uma família. Mas a resposta porque não transferi 2 é simples: não confio no meu endometrio. Se desta vez não correr bem, podemos sempre mudar alguma cosia na próxima para otimizar o processo. Ou então não... mas pelo menos não fico a pensa que lá se foram 2 embriões. 

A Dra. C. aconselhou-nos, categoricamente, a transferir só 1 por dois motivos:
- o risco elevado de gravidez gemelar (e aí eu ri-me imenso internamente, nem 1 quanto mais 2! tinha piada)
- transferindo 2, a probabilidade de implantar pelos menos 1 é apenas ligeiramente superior à de transferir só 1. Além disso é praticamente igual a fazer duas transferências independentes (sendo neste caso superior), e caso dê negativo podemos transferir no ciclo seguinte. Isto das probabilidades vale o que vale como é óbvio.

Gostava mesmo muito de tão cedo não fazer mais nenhum TEC. Queria mesmo muito acreditar que vai ser desta, mas o medo paralisante está novamente de volta. Grande parte do tempo esqueço-me do que possa estar a acontecer no meu incompetente endometrio, mas quando me lembro fico cheia de medo de voltar a passar pelo mesmo, Mr. Red dar as caras no D7, ou desta vez no D8. Gostava de pelo menos chegar ao dia da análise... Quanto a sintomas, digamos que de vez em quando sinto umas ligeiras moinhas no útero, acentuada vontade de fazer xixi (que se deve à maior quantidade de água que bebo) e a tensão mamária tão característica da progesterona. Ou seja, nada de novo. 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

2ª TEC - transferência feita

Antes de mais gostaria de agradecer a todas as meninas que pensaram em mim ontem e hoje e me mandaram energia positiva. Muito obrigada mesmo... vocês "aliviam" esta caminhada por vezes tão difícil e dura.

Esta transferência correu bem melhor que as anteriores. Primeiro porque não se perdeu nenhum embrião na descongelação (iupiii), ainda ficaram 5 embriões na IVI, e parecendo que não isso é muita coisa. Segundo, porque vai-se aprendendo com a experiência. Deste vez controlei muito melhor a minha bexiga, não estava tão cheia mas estava cheia o suficiente e eu indiscutivelmente mais sossegada e relaxada. Já aqui disse que não acho as transferências nada agradáveis, mas esta não me custou grande coisa confesso. Após a transferência feita consegui ficar deitada 30min a relaxar e a receber miminho do meu marido. Tão bom!

Estava tudo a correr espetacular até adquirirmos a progesterona intramuscular para os próximos dias e o meu marido aperceber-se que cada ampola tinha o dobro da dose daquela que andava a administrar e aí o meu estado zen passou a pânico. As ampolas que estávamos a administrar adquirimos na IVI de Vigo. Claro que o homem, que não se assusta com pouco, lá foi-se informar com a enfeimeira que lhe disse que não tinha mal nenhum. Em Espanha continuam a usar progesterona com fabrico próprio porque é permitido, em Portugal tinham eles que adquirira a corrente que é uma dose superior, mas a dosagem espanhola chega perfeitamente. De qualquer maneira a partir de hoje estou a usar a portuguesa que a pica custa muito, mas muito menos a administrar. 

A restante tarde foi passada com quarto do hotel a ver House of Cards e no final do dia fomos jantar a um restaurante espetacular no Parque das Nações. Foi a melhor comemoração possível dos 3 anos de casamento. Neste momento, acho que a grande maioria do tempo me esqueço que fiz uma transferência há algumas horas. Hoje é um dia de celebração. Conseguimos fazer uma transferência e pela aniversário de casamento. Amanhã já não sei se o medo tomará conta de mim. 

Diria que dia 26 saberemos o resultado, mas dado que comigo não funciona assim... aguardemos o maldigo Red chegar, ou um resultado positivo na análise. (Será que eu também terei direito a esperar pelo Beta para saber o resultado? Ou melhor ainda que também terei direito a um resultado positivo? Por vezes tenho tantas dúvidas disso...)